terça-feira, 17 de outubro de 2017

Como fazer para que meu site apareça no Google

Veja o passo a passo para que seu site seja encontrado por seus futuros clientes


Hoje, com a enorme quantidade de empresas na internet, não basta apenas ter um site, você precisa ser notado pelos consumidores se quiser ter alguma relevância, conquistar um público fiel e vender. Mas como fazer isso?

Bom, o primeiro passo é pensar na experiência do consumidor. O processo de compra geralmente se baseia no despertar de um desejo ou necessidade, pesquisa, relacionamento e compra.

Se você, enquanto cliente, percebe que está precisando de uma televisão nova, naturalmente o primeiro passo vai ser começar a pesquisar modelos de TV e lojas que vendam o produto com o melhor preço possível, certo? Depois disso, você deve tomar um tempo para conhecer melhor a loja escolhida, verificar se ela é mesmo confiável e então comprar.

Esse momento de pesquisa é decisivo na finalização de compra e é nele que sua marca precisa aparecer. E você sabe onde as pessoas costumam procurar por itens que querem comprar? No Google! É por isso que quem tem um site precisa se preocupar em aparecer por lá.

Agora você, provavelmente, está pensando que estar em um lugar tão disputado e importante para o processo de compra deve ser algo bem complicado, não é?

Bem, posicionar seu site no Google é, sim, algo que pode ser um pouco trabalhoso, principalmente se você quiser estar entre os primeiros resultados, mas, com certeza vai ajudá-lo a colher ótimos resultados no futuro. Vamos ver, a partir de agora, como fazer isso!

A indexação de um site

Todos os dias, milhares de sites são criados no mundo todo. O Google tem um sistema que, periodicamente, verifica novos sites, os analisa e, de acordo com alguns critérios próprios, escolhe se vai ou não somá-los ao seu diretório de sites. Esse processo é chamado de indexação.

No entanto, como a quantidade é muito grande, essa indexação orgânica pode demorar um pouco ou acabar não acontecendo. Uma alternativa para agilizar esse processo é fazer a indexação manualmente.

Para adicionar a sua URL no catálogo do Google basta acessar o endereço https://www.google.com.br/intl/pt-BR/add_url.html. Lá, você tem a chance de enviar o seu site para análise e ainda fazer alguns comentários descrevendo que tipo de conteúdo será encontrado em seu site.

Vale dizer que fazer esse cadastro não garante que seu site será adicionado, mas é um passo que pode acelerar a indexação.

Caso você esteja encerrando um site ou mudando ele de endereço, também pode fazer a exclusão ou alteração do endereço neste mesmo lugar.

Quer aparecer primeiro? Invista em SEO

Depois que seu site for indexado pelo Google, ele já poderá ser encontrado pelos usuários no buscador mais famoso do mundo. Mas isso não garante que você vai estar entre os primeiros resultados.

Você já percebeu que quando busca por algo como “como pintar azulejo” aparece uma série de resultados e várias páginas, certo? Bom, isso não é aleatório. O Google coloca no topo os resultados que entende serem os melhores, porque sabe que a tendência é que o público clique nos primeiros links exibidos.

E o que faz com que o Google entenda quais são os melhores sites para mostrar aos usuários? Uma série de fatores que, juntos, chamamos de SEO.

SEO é a sigla para Search Engine Optimization ou Optimização para Mecanismos de Busca, e é o que determina se um site será o primeiro ou o centésimo link na página de resultados do Google.

Se você quiser não só ter chances de aparecer no Google, mas, de fato, ser um dos primeiros quando as pessoas pesquisarem algo relacionado ao seu site, precisa conhecer e investir em SEO. Algumas das principais técnicas para se posicionar melhor são:

Produzir conteúdo de qualidade: a maior preocupação do Google é colocar o conteúdo que melhor atende à necessidade do usuário perto dele. Então, se você quer alcançar o topo, preocupe-se em criar conteúdo excelente, que responda às dúvidas frequentes e eduquem quem está lendo.

Focar em palavras-chaves: o texto que digitamos no campo de busca do Google é chamado de palavras-chaves, e elas são a ligação entre o que o visitante está procurando e o que o seu site tem a oferecer. Pense em que palavras seus futuros clientes podem usar no buscador e tente trabalhar com elas em seu conteúdo.

Buscar links externos: quando você é citado por outros sites, o Google entende que você está se tornando uma referência, e isso contribui muito para um ranqueamento. Mas não vale ser citado por qualquer site. É necessário que você receba links de páginas que tenham a ver com o seu mercado e já estejam estabelecidas há algum tempo na internet. Ou seja, não adianta criar outro site para linkar para o seu, o Google vai perceber!

Redes Sociais: A força da marca gerada por uma presença ativa nas redes sociais (Facebook, Twitter, Google+) vai fazer com que o SEO do seu site seja fortalecido “por tabela”.
Então: Conquiste mais seguidores para replicar seu nome, gerando mais link externo. Não se esqueça das imagens e Crie um título atraente.

Ter um layout mobile: como a prioridade é oferecer a melhor experiência possível ao público, e as pessoas estão cada vez mais conectadas à internet por meio de seus smartphones, o Google declarou, recentemente, que ter um layout mobile (aquele que se adapta a telas menores) também faz diferença no ranqueamento.

Trabalhe no seu site com dedicação e afinco e você vai chegar lá!

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Há 15 Anos...

Veja como era o visual antigo de 14 de sites famosos

TecMundo (2011)

Tumblr (2007)
Twitter (2006)

YouTube (2005)

Flickr (2004)
Facebook (2004)

LinkedIn (2003)

Wikipédia (2001)

UOL (2001)

Submarino (2001)

Baixaki (2001)

Cadê (2001)

Google (1998)
Yahoo (1994)


Fonte: Mega Curioso

De Novo

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Com você...

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Guerra Declarada

Você certamente já sabe da polêmica envolvendo os canais SBT, RedeTV e Record com as operadores de TV a cabo, né? Principalmente Sky e NET.

Depois de não chegarem a nenhum acordo de repasse de valores, os canais deram adeus a NET, Sky. E claro, sempre que pode, Silvio Santos resolve cutucar as operadoras.

minhacidade.br


O Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br, órgão que coordena a internet brasileira) divulgou recentemente que pretende criar uma categoria de Domínios de Primeiro Nível (DPNs) para as cidades. Por exemplo: sites de empresas e instituições da cidade de São Paulo poderão terminar com ".sampa.br"; os do Rio de Janeiro poderão ser ".rio.br" e os de Porto Alegre, ".poa.br".

No entanto, os nomes dos domínios das cidades ainda não estão fechados: o NIC.br está realizando uma consulta pública para escolhê-los, e é possível votar no domínio da sua cidade por meio deste link. Se você gostaria de ajudar a escolher, não deixe de votar.

Segundo o NIC.br, devem ser criados domínios para cada uma das capitais dos estados brasileiros, mais os municípios com mais de 500 mil habitantes - totalizando 46 localidades. Como explica Demi Getschko, o diretor presidente do NIC.br, a ideia é "proporcionar um número maior de opções para o registro do .br".

Atualmente, a maioria dos domínios brasileiros são registrados sob o ".com.br". Getschko ressalta que a escolha de um nome de domínio para cidades tem o objetivo de levar em conta "a vontade de identificação do usuário com a sua cidade natal ou adotiva". Por isso, qualquer brasileiro com mais de 12 anos pode enviar quantas sugestões quiser. A consulta ficará aberta por tempo indeterminado, mas a decisão final caberá ao próprio NIC.br.

Mesmo que sua cidade não esteja entre as participantes ou que você não tenha interesse em escolher o domínio da sua cidade, vale a pena dar uma olhada nas sugestões - algumas são bem engraçadas. A sugestão que lidera para ser domínio da cidade mineira de Uberlândia, por exemplo, é ".uai.br". Aparecida de Goiânia, por sua vez, pode ganhar o domínio ".paris.br", e São Bernardo do Campo pode virar, na internet, ".berno.br".

Caçadores de Wi-Fi

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Não julgue antes de observar

segunda-feira, 8 de maio de 2017

LinK'S VP - 2017


SELECIONE UM SERVIÇO

PARA FACILITAR SUA NAVEGAÇÃO

Link de diversos serviços, reunidos num mesmo lugar para facilitar a sua navegação na internet.

"Acesse o WhatsApp, Telegram, Messenger e muitos mais em um App..."

Desde Messenger, Rede social à WebMail, dividida em várias categorias. (Ferramentas Web, Messenger, Play, Redes Sociais, Upload).

Screenshots:
Android


Chrome:

Windows:

Windows Portable:
DOWNLOAD:
Chrome (extensão) / Windows (32 e 64 bits) / Windows Portable (32 e 64 bits).


Obs: Alguns serviços no Android só funcionaram pelo aplicativo do mesmo.

domingo, 16 de abril de 2017

Dicas para identificar notícias falsas

Esta dica vale pro Facebook, Google+, Twitter, Whatsapp, Blog, Sites enfim Internet. Vamos impedir a divulgação de notícias falsas na rede, eis algumas dicas:


1. Seja cético com as manchetes. Notícias falsas frequentemente trazem manchetes apelativas em letras maiúsculas e com pontos de exclamação. Se alegações chocantes na manchete parecerem inacreditáveis, desconfie.

2. Olhe atentamente para a URL. Uma URL semelhante à de outro site pode ser um sinal de alerta para notícias falsas. Muitos sites de notícias falsas imitam veículos de imprensa autênticos fazendo pequenas mudanças na URL. Você pode ir até o site para verificar e comparar a URL de veículos de imprensa estabelecidos.

3. Investigue a fonte. Certifique-se de que a reportagem tenha sido escrita por uma fonte confiável e de boa reputação. Se a história for contada por uma organização não conhecida, verifique a seção "Sobre" do site para saber mais sobre ela.

4. Fique atento a formatações incomuns. Muitos sites de notícias falsas contêm erros ortográficos ou apresentam layouts estranhos. Redobre a atenção na leitura se perceber esses sinais.

5. Considere as fotos. Notícias falsas frequentemente contêm imagens ou vídeos manipulados. Algumas vezes, a foto pode ser autêntica, mas ter sido retirada do contexto. Você pode procurar a foto ou imagem para verificar de onde ela veio.

6. Confira as datas. Notícias falsas podem conter datas que não fazem sentido ou até mesmo datas que tenham sido alteradas.

7. Verifique as evidências. Verifique as fontes do autor da reportagem para confirmar que são confiáveis. Falta de evidências sobre os fatos ou menção a especialistas desconhecidos pode ser uma indicação de notícias falsas.

8. Busque outras reportagens. Se nenhum outro veículo na imprensa tiver publicado uma reportagem sobre o mesmo assunto, isso pode ser um indicativo de que a história é falsa. Se a história for publicada por vários veículos confiáveis na imprensa, é mais provável que seja verdadeira.

9. A história é uma farsa ou uma brincadeira? Algumas vezes, as notícias falsas podem ser difíceis de distinguir de um conteúdo de humor ou sátira. Verifique se a fonte é conhecida por paródias e se os detalhes da história e o tom sugerem que pode ser apenas uma brincadeira.

10. Algumas histórias são intencionalmente falsas. Pense de forma crítica sobre as histórias lidas e compartilhe apenas as notícias que você sabe que são verossímeis.

Dicas: Facebook

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Somente - R$ 500,00

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Novo Site 2017

Agora ficou mais fácil você escolher um dos nossos produtos!